IESB apresenta nova versão da Fábrica de Softwares

Com a participação de alunos de diferentes cursos de tecnologias, Centro de Práticas Acadêmicas ganha espaço com novo visual

Em algum momento de todo aprendizado, existe um ponto de fusão com outro conhecimento. Com esse pensamento, o Centro Universitário IESB apresenta o Centro de Práticas Acadêmicas: Bay Area. O projeto, antes denominado “Fábrica de Software”, estabelecido no IESB Ceilândia, é formado por alunos de diferentes cursos de tecnologias oferecidos pela Instituição, e busca a integração com alunos de diferentes áreas.

No espaço são desenvolvidos trabalhos que englobam a inclusão da comunidade no mundo digital, criação de sistemas de software para os clientes, além da organização de eventos com palestras e workshops que visam preparar os integrantes para o mercado de trabalho. A inciativa nasceu há quatro anos, e desde então busca dar continuidade a metodologia aplicada pelos professores durante as aulas.

Para o estudante do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Gilson Vieira Castro Júnior, gerente geral do Bay Area, o projeto proporciona ao aluno a expansão do conhecimento acadêmico enquanto vivencia novas experiências com colegas de outros semestres. “Esse tipo de ação é uma qualificação do estudante, visto que o aluno tem a oportunidade de atuar em vários trabalhos e desempenhar várias funções, até que encontre a que mais se identifica para colocar em prática todas as teorias, ferramentas e metodologias aprendidas durante o curso”, explica.

O Centro de Práticas Acadêmicas conta com criações de sites, aplicativos e sistemas, além de atenderem clientes do setor público e privado, desenvolvendo soluções para Web e Mobile de qualquer ramo que o consumidor necessite. Com o apoio de um professor como supervisor, os alunos se reúnem todos os sábados, das 8h às 13h, no Laboratório de Redes, sala AA17, para sincronizar os progressos dos integrantes, além de planejar e organizar as demandas.

Qualquer curso pode integrar o Bay Area. Para participar, basta comparecer a um dos encontros aos sábados e informar um dos gestores que irá guiá-los dentre os projetos em desenvolvimentos.

Projetos de 2019.1

Prontuário Eletrônico

Cliente: Centro de Estudo Psicológico do IESB Ceilândia

Equipe do Projeto: Douglas Santana; João Vitor; Victor Souza; Renan Ribeiro; Luiz Resplande.

- Diante do acúmulo de documentos em papel e a dificuldade para armazená-los, os alunos do Bay Area CPA apresentaram a seguinte solução ao cliente: a criação de um Prontuário Eletrônico. Um sistema que gerencia os atendimentos aos pacientes da Clínica, sistematizando a rotina de criação de documento manuscrito.

 

Parque Nacional de Brasília

Cliente: Voluntários IcmBio

Equipe do Projeto: Filipe Lopes; Natan Farias; Arthur Falcomer; Thiago Soares.

- O projeto resume-se à criação de um aplicativo para dispositivos móveis destinado aos usuários do Parque Nacional de Brasília e voluntários. O app é capaz de notificar ocorrências e avisos referentes ao parque. Também contém informações das atividades e trilhas, sendo possível o acesso ao link de cada trilha diretamente com as trilhas do Parque mapeadas no google.

 

POPE

Cliente: Justiça Comunitária TJDFT

Equipe do Projeto: Lucas Manoel; Eduardo Kimura; Thiago Lago.

- Para facilitar e otimizar o acesso dos cidadãos aos serviços da Justiça Comunitária do TJDFT, está em desenvolvimento uma plataforma web para listar os serviços ofertados pelas organizações cadastradas e disponível para a consulta de toda a população.

 

Open the Bay

Cliente: Alunos IESB e comunidade de Ceilândia

Equipe do Projeto: Israel Marcos; Lucas; Novos integrantes a definir no próximo encontro.

Visando a integração tecnológica, o projeto Open the Bay apresenta uma oportunidade de aproximar o público universitário e a comunidade local ao mundo da tecnologia e automação. Através de métodos de manuseio das plataformas de tecnologia embarcada, o programa visa demonstrar ao público a aplicação da tecnologia da automação no dia a dia. Despertando assim, o interesse do público por essas áreas do conhecimento.

Por Ana Maria da Silva



Compartilhe: